Eu estava dentro de casa quando ouvi a minha filha de 16 anos gritando, me chamando, quando saí vi um homem em pé se masturbando. Ao me ver, ele fugiu, mas conseguimos anotar a placa”. O relato é de uma mãe assustada que denuncia à equipe de reportagem uma situação constrangedora e preocupante que a família vem passando. Por segurança, o nome dela não será divulgado.
Conforme ela, o fato ocorreu por volta das 16h30, na quarta-feira (29), no Bairro Cidade Jardim, em Parauapebas. O homem ainda não identificado estava dirigindo um carro no modelo Fox, de cor branca. A mãe narra que a família estava esperando uma visita e, ansiosa, a sobrinha de 12 anos estava do lado de fora aguardando.
Dentro de casa, a denunciante ouviu um barulho de um carro estacionado e, pensando ser a visita, pediu que a filha de 16 anos fosse verificar. Pouco depois começaram os pedidos de socorro. “Para mim ele já estava observando elas porque a minha sobrinha disse que quando ele desceu do carro perguntou onde estavam os porcos que ficavam no lote do lado”, conta.
Esta não foi a primeira aparição do exibicionista que se apresenta para menores de idade. A denunciante relata que a filha de 16 anos já havia visto o mesmo homem anteriormente, com as mesmas características e usando o mesmo veículo, praticando o mesmo ato de se masturbar em público.
Meses atrás a vítima foi a um supermercado próximo de casa e avistou um carro parado. Evitando cruzar sozinha com o veículo, optou por cortar caminho por um lote baldio. Neste momento, relatou ela, o suspeito ligou o carro, deu a volta e estacionou onde seria o final do percurso da moça. Quando ela se aproximou, ele desceu do carro totalmente nu e se masturbando. A única reação da vítima foi correr para longe do homem.
A equipe de reportagem procurou a Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente (Deaca), da Polícia Civil, em Parauapebas, sendo informado que até o momento ninguém registrou denúncias sobre casos semelhantes. Temendo que o homem esteja perseguindo as adolescentes, a mãe e tia das vítimas informou que irá procurar a delegacia ainda nesta quinta-feira (30) para registrar Boletim de Ocorrência (B.O) e fornecer a placa anotada.
Theíza Cristhine e Ronaldo Modesto – Correio de Carajás