A criança Carla Emanuelly Miranda Correia, de apenas 1 ano e 8 meses de idade violentada sexualmente pelo padrasto Deyvyd Renato Oliveira Brito, com o consentimento da própria mãe, não resistiu e faleceu na tarde desta terça-feira (8), no hospital municipal de Parauapebas.
Como foi divulgado aqui, a indefesa Carla Emanuelly foi violentada pelo Padrasto, e chegou ao Hospital com um quadro clínico grave.
A mesma foi medicada e entubada devido ao coma profundo.
A Prefeitura Municipal de Parauapebas, por meio da SEMSA – Secretaria Municipal de Saúde, enviou uma Nota à imprensa informando que prestou todo o atendimento à criança, mas devido ao estado gravíssimo em que se encontrava, não foi possível salvar a vida da mesma.
Veja abaixo na íntegra a nota enviada pela Assessoria de Comunicação do Hospital Municipal.
NOTA DE ESCLARECIMENTO
Infelizmente a criança Carla Emanuelly Miranda Correia, vítima de abuso sexual, não resistiu e faleceu na tarde desta quarta-feira (08), às 15h10. A Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), prestou todo o atendimento possível à criança, mas, em função do quadro gravíssimo em que se apresentava, não foi possível salvar a vida da paciente.
A causa exata da morte será divulgada pelo IML. A mãe e o padrasto levaram a criança ao Pronto Socorro municipal nesta terça-feira (07), às 14h20. A criança chegou desmaiada e com o quadro de parada cardíaca. Depois de 20 minutos de reanimação, procedimento realizado com sucesso, a criança foi entubada e conduzida para ventilação mecânica, por conta do coma profundo.
A equipe multidisciplinar que acompanhava a criança atuava para conseguir a estabilidade do seu quadro de saúde, para então realizar a sua transferência para a UTI Infantil do Hospital Regional de Marabá. O governo municipal lamenta o óbito e reforça que todo o atendimento foi prestado para salvar a vida da criança.
Assessoria de Comunicação da PMP

Comentários do Facebook