Um bebê de nove meses deu entrada com graves sinais de espancamento, traumatismo craniano e queimaduras que seriam provocados por cigarro deu entrada no Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, Zona Oeste, na noite desta quinta-feira. A mãe que chegou com a criança no local e teria dito que as agressões foram cometidas por uma cuidadora.
Segundo informações, o bebê tinha sinais de espancamento, afundamento de crânio, costela quebrada. Ela foi imediatamente enviada em uma UTI móvel para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, onde passou por uma neurocirurgia. O seu estado de saúde é grave, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.
A equipe médica chamou a Polícia Militar, que conduziu a mãe para prestar esclarecimentos na 16ª DP (Barra da Tijuca). Segundo informações, ela declarou que as agressões foram cometidas pela cuidadora da criança.
É muito triste, sou mãe e avó também. Não tem palavras para descrever uma criança indefesa naquele estado“, disse uma técnica em enfermagem do hospital, em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo.
De acordo com a 16ª DP (Barra da Tijuca) o caso foi registrado a partir de comunicação do médico que atendeu a criança na unidade hospitalar. A mãe da criança e testemunhas foram ouvidas e diligências realizadas. A investigação será transferida para a 44ª DP (Inhaúma).
Reportagem: Meia hora

Comentários do Facebook