Depois que os bandidos saíram do banco, curiosos foram ao local ver o estrago deixado para trás – foto: Redes sociais

A agência do Banco do Brasil da cidade de Jacundá foi alvo de uma ação criminosa na madrugada desta terça-feira, 22. Era meia-noite quando um grupo fortemente armado com fuzis atacou a agência, fez reféns e fugiu após intenso tiroteio. Segundo o comandante da 18ª Companhia Independente de Polícia Militar, major Fábio Rayol, nenhum civil ficou ferido.
A saraivada de disparos começou pouco mais de meia-noite, quando boa parte dos moradores estava dormindo. Entre 12 e 20 homens chegaram à agência do BB em motos e camionetes, fizeram reféns e atacaram a agência. O intenso tiroteio durou mais de uma hora, cessando por volta de 1h30.
Enquanto parte dos assaltantes permaneceu na Praça Inácio Pinto e na entrada da agência, outro grupo adentrou ao banco. A demora em arrombar o cofre causou medo e pânico a muitas pessoas, em decorrência dos disparos. A recomendação por meio das redes sociais era para que os moradores deitassem no chão em suas casas. “São projéteis de grosso calibre e que chegam a alcançar mais de dois quilômetros”, informava o major Rogério, ex-comandante da PM em Jacundá.
Para evitar a fuga do grupo criminoso, a Polícia Militar chegou a interditar a Rodovia PA-150, colocando um caminhão atravessado sobre a ponte do Rio Arraia, o que não evitou a saída do bando da cidade, pela estrada do Pitinga que liga Jacundá a Rondon do Pará. Reféns foram vistos sobre capôs de camionetes durante a fuga.

Artefatos e cápsula de fuzil usados pelos bandidos para afugentar a polícia e facilitar a fuga.

Por telefone, na manhã desta terça-feira, o major Fábio Rayol disse que o contingente foi mobilizado para assegurar a vida dos civis e que apenas a agência do BB foi alvo da quadrilha. No entanto, populares detectaram fumaça no interior da agência da Caixa Econômica Federal, que fica a pouco metros do BB.
Reportagem: Antonio Barroso – Correio de Carajás

Comentários do Facebook