O jovem Cristian Roberto da Silva, de 19 anos, confessou ter matado o padre José Ronaldo Gomes de Brito, 37, na noite de Réveillon. Cristian depôs na tarde desta segunda-feira (4) após se apresentar, junto como advogado, à 16ª Seccional Urbana de Polícia Civil, em Santarém, oeste paraense.
Uma fonte da Polícia Civil disse à reportagem que Cristian afirmou em depoimento que tinha um relacionamento amoroso com o sacerdote da Igreja Católica há vários meses e que a morte teria acontecido após um desentendimento entre os dois e um amigo que estava presente na festa de confraternização na casa do padre, localizada na rua Monte Sião com a rua das Flores, na invasão do Juá.
Segundo a fonte, Cristian disse que matou José Ronaldo com uma facada no pescoço após o desentendimento, causado por ciúmes. O assassino disse que fugiu no veículo oficial da arquidiocese, mas acabou batendo no muro de uma casa.
Após o acidente Cristian chegou a ir para delegacia, no entanto, os agentes desconheciam que ele cometera um assassinato e o liberaram. Ao se apresentar na tarde de hoje, Cristian deu seu depoimento e fora liberado, uma vez que, como já se passaram 48 horas, não existe flagrante contra ele.
Ele responderá o processo em liberdade.
Em nota, a Polícia Civil confirmou que o suspeito de matar o padre se apresentou na Delegacia de Homicídios, prestou depoimento e foi liberado.
Equipes da delegacia local realizam diligências para elucidar o caso e, inicialmente, não dará detalhes sobre a apuração para não prejudicar o processo de investigação“, completou.
Diário Online