São procurados por estupro de vulnerável: Douglas, Luis, João e Harlison

A equipe da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) e da Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente (Deaca), em Parauapebas, busca quatro homens com mandados de prisão expedidos por estupro de vulnerável, crimes praticados contra pelo menos sete crianças no município.
De acordo com o investigador da Polícia Civil Marcos Andrino, os procurados são Douglas de Souza Oliveira, que teria vitimado uma menina de 11 anos; Harlison Pinto Cunha Silva, por crime praticado contra duas filhas de quatro anos; Luiz Rodrigues Sousa, acusado de abuso de três crianças, de 2, 9 e 12 anos; e João Batista Mendonça de Sousa, apontado pelo estupro de uma vítima de 13 anos.
O investigador lembra que o estupro de vulnerável é um crime covarde por trair a confiança dos familiares. “É cometido muitas vezes por pessoas que amamos, então não é fácil denunciar, mas permita que seu filho seja ouvido porque pode realmente ter acontecido e o sentimento às vezes atrapalha a gente enxergar a verdade dos fatos”, diz, ao dar dicas aos responsáveis por crianças e adolescentes.
A gente sempre alerta aos responsáveis que confiem nos filhos, que escutem o que eles têm a dizer e permitam-se vir na delegacia para que seja investigado. Que confie na sua criança, acredite no que ela tá te contando”, acrescenta. Ele destaca, ainda, que o estupro de vulnerável se configura de diversas maneiras.
Quando a gente fala de abuso de criança tem que ter em mente que não é apenas a penetração. Em relação a menores de 14 anos, atos libidinosos como toques, carícias, sexo oral e anal, masturbação são considerados estupros de vulnerável”, explica.
MARIA DA PENHA
Além destes homens, a Polícia Civil busca também Taffarel Pedrosa Quintino, que há quase um ano, em dezembro de 2018, foi parar junto da ex-companheira, Crislânia Bastos de Castro, no hospital após descumprir medidas protetivas determinadas em favor dela.

Taffarel é procurado por tentativa de homicídio contra a ex

A Equipe de Reportagem publicou o caso após os dois terem se ferido gravemente utilizando uma tesoura e uma faca e acabarem internados no Hospital Municipal de Parauapebas. À época, ele não podia se aproximar menos de 200 metros da vítima e após receber a notificação foi até a casa da mulher tirar satisfações.
DENÚNCIAS
O investigador Marcos Andrino informa a quem tiver informações acerca do paradeiro de qualquer um dos foragidos que pode repassá-las pelo número das duas delegacias: (94) 99253-8294. “Em caso de ter visto essas pessoas em outras cidades pode entrar em contato com a Polícia Civil desses locais porque as polícias podem entrar em contato com a gente ou pelo Disque Denúncia do Pará 181. Também pode procurar a página da Deam Parauapebas no Facebook e a delegacia”, finaliza.
Reportagem: Luciana Marschall e Ronaldo Modesto – Correio de Carajás

Comentários do Facebook