Cerca de 200 homens participam da ação que tem caráter preventivo e busca evitar novas ocorrências envolvendo resgate de presos por criminosos armados

Após o término da recontagem e identificação de presos, na manhã desta terça-feira (6), a Susipe confirma a fuga de 56 detentos do CRPP I, localizado no Complexo de Santa Izabel. A ação ocorreu por volta das 04h30 da madrugada, de ontem (5). De acordo com informações da Diretoria de Administração Penitenciária da Susipe, a fuga contou com apoio externo de criminosos armados. Houve troca de tiros entre policiais do Batalhão Penitenciário Operacional e criminosos, após agentes prisionais de ronda perceberem uma movimentação suspeita no bloco carcerário e acionarem o alarme de segurança.
Dois presos foram encontrados mortos na área externa do presídio. Os corpos estão no IML de Castanhal e ainda aguardam reconhecimento. A segurança no Complexo Penitenciário de Santa Izabel foi reforçada com tropas da ROTAM e COE que estão realizando incursões na área de mata e rondas no entorno do Complexo, 24h por dia.
De acordo com a Assessoria de Segurança Institucional da Susipe, de 1º de janeiro até 5 de novembro, deste ano, foram registradas 87 fugas no Estado com 618 fugitivos e 229 recapturados. Em 2017, foram 75 fugas, com 403 fugitivos e 169 recapturados. Já com relação ao número de tentativas de resgate de presos com apoio externo, foram registradas 54 ocorrências, neste ano. Em 2017 foram 120.
O levantamento aponta ainda que em 2018, 28 presos morreram em confronto armado com a PM dentro de unidades prisionais do Estado, durante rebeliões, motins e/ou tentativas de resgate de presos. Em 2017, foram 24.
Na madrugada de ontem (6), por volta de 01h, um policial de guarda em uma das guaritas do CRPP I percebeu uma movimentação suspeita na área de mata e efetuou disparos de advertência. Houve troca de tiros com um bando armado, mas ninguém foi encontrado. “A Polícia Militar é responsável pela segurança nos presídios de todo o Estado. Com o reforço do efetivo policial, sem dúvidas, teremos melhores condições de combater esses grupos criminosos armados que têm atuado nas tentativas de resgate a presos no Pará. As investigações conduzidas pela Polícia Civil, para desarticular essa quadrilha, estão avançadas. Estamos no nível máximo de alerta para qualquer ocorrência“, destaca o superintendente da Susipe, Michell Durans.
Reportagem: Timóteo Lopes – Agência Pará

Comentários do Facebook