Sessenta tabletes de maconha prensada, pesando aproximadamente 50 quilos. Este foi o montante apreendido em Marabá, dentro de duas malas, que estavam em um ônibus interestadual que seguia de Goiânia (GO) com destino a Altamira, no oeste do Pará.
O acusado, identificado como Diogo Caetano Passos, confessou que recebeu a quantia de R$ 5 mil para fazer o transporte do entorpecente, mas – pasme – alegou que nāo sabe o nome de quem lhe passou a droga, nāo sabia também o que estava transportando nas malas e tampouco quem iria receber a maconha lá em Altamira. Essa é um versão difícil de acreditar.
De acordo com informações repassadas pelos policiais militares lotados na 1ª CIME – Companhia de Missões Especiais (Antigo Grupamento Tático), o caso se registrou na manhā deste domingo (7), por volta das 11h30, por meio de uma denúncia anônima.
De posse das informações sobre as características do ônibus interestadual e também do acusado, a guarnição fez a abordagem do veiculo na rodovia Transamazônica (BR-230), nas proximidades do loteamento Buriti, entrando no perímetro urbano de Marabá. Feita a revista no bagageiro do ônibus, foi constatada a veracidade da denuncia: a maconha estada nas duas malas.
Na manhā de ontem, segunda-feira (8), o delegado Vinícius Cardoso das Neves, diretor da 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil, confirmou, em coletiva à imprensa local, que Diogo Passos foi autuado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas, mas a história desse crime nāo acabou por aí. “O próximo passo é identificar quem repassou essa mercadoria e para quem ela seria entregue. A Polícia Civil tem 30 dias para concluir essa investigação”, explicou o delegado.
Após ser apresentado na 21ª Seccional , Diogo Caetano Passos foi levado para a audiência de custódia na 2ª Vara Criminal de Marabá, onde foi ouvido pelo juiz Alexandre Hiroshi Arakaki, que manteve o flagrante por tráfico de drogas e confutas afins, já nesta segunda-feira (8).
Reportagem: Chagas Filho – Correio de Carajás