A partida desta quinta-feira (31) será uma oportunidade para o time do técnico Castanhal assumir a liderança da competição/Foto: Márcio Aquino

Na manhã desta quinta-feira (31), feriado de Corpus Christi, o Águia de Marabá recebe o time do Paysandu para um confronto no estádio Zinho Oliveira pelo Sub-17. A partida será uma oportunidade para o time do técnico Castanhal assumir a liderança da competição. A diretoria está empolgada com os resultados obtidos pela garotada e já cogita que de cinco a seis atletas terão condições de passar ao time profissional na próxima temporada.

Um dos entusiastas da nova safra de jogadores da base é o presidente do clube, Sebastião Ferreira Neto, que não esconde a alegria em função da qualidade individual da equipe, e também pelos resultados alcançados até agora: quatro vitórias e uma derrota entre os 20 clubes que participam da competição.

O treinador Castanhal realizou uma ‘peneira’ entre atletas de Marabá, mas também de outros municípios da região, como Bom Jesus do Tocantins, Itupiranga, São Domingos e Jacundá, por exemplo. Por isso, posso afirmar que esse time do Águia tem o DNA dos municípios do sudeste do Pará e o resultado é muito satisfatório. Este é um segundo ano que participamos com essa categoria e estamos entusiasmados com o resultado até aqui”, disse.

Cautela

Por outro lado, com tom cauteloso, Ferreirinha adverte que ainda é cedo para apontar este ou aquele garoto como revelação e espera que eles sejam promovidos para o time profissional no tempo certo, sem atropelar etapas. “O Galvão (treinador do time principal) assiste sempre aos jogos desses garotos e vai analisando o perfil de cada um para, no tempo certo, levá-los ao profissional”, afirma Neto.

O empresário Tarcísio Rodrigues Marques, patrocinador de todas as categorias do Águia de Marabá, avalia que o time Sub-17 tem ajudado a elevar o nome da cidade em outros municípios da região e disse que também está motivado com o empenho da garotada nos treinos e na competição. “Essa molecada vai longe. Eu tenho certeza que será um bom jogo e os torcedores devem comparecer para incentivar a equipe”, observou.

Artilheiro indígena é o protagonista da equipe do Águia 

Kwytare Jokare Totore Parkateje. Esse é o nome do artilheiro do Águia de Marabá e um dos goleadores do Campeonato Paraense Sub-17 deste ano com seis gols. Conhecido como Kuor e nascido na aldeia Krekãpeitije. Aos cinco anos de idade, ao se mudar para aldeia vizinha Gavião Kyikatejê, começou o amor pelo futebol, como ele mesmo diz.

O talento foi logo ganhando destaque e com apenas dez anos já jogava no meio dos adultos da aldeia, chegando a estar do lado do atacante Aru, uma das fontes de inspiração. Em 2015, aos 14 anos, o jovem atacante teve a chance de acompanhar a equipe profissional do Gavião, participando dos treinamentos da equipe indígena, que naquela época brigava para participar da elite do futebol paraense. “Tive o privilégio de estar ali perto dele”, diz, referindo-se ao atacante Aru.

Kuor terminou recentemente o Ensino Médio, mas por enquanto disse que deixará os estudos de lado e vai continuar focado no sonho de ser jogador de futebol profissional. O indígena sonha em chegar num grande clube do futebol brasileiro, dando preferência aos times cariocas, pois o Fluminense é o time de coração, tendo também carinho pelo Palmeiras.

Técnico admite que vai enfrentar pedreira contra o Paysandu

O técnico do Águia, Castanhal, sabe da pedreira que tem pela frente, pois o Paysandu é o segundo colocado da outra chave e briga para ficar na primeira colocação. “Eu conheço o time do Paysandu, é um dos candidatos ao título, e a gente trabalhou intensivamente essa semana visando esse jogo, que eu acredito que possa definir a nossa classificação. Se a gente ganhar a gente vai para o primeiro lugar”, disse.

O Azulão vem embalado de uma goleada aplicada em cima do São Francisco por 7 a 1. Já o Paysandu, que sempre tem uma base forte, está invicto, mas há duas partidas não sabe o que é vencer, pois empatou em 0 a 0 com a Tuna Luso e depois amargou outro empate diante do Bragantino.

Os jogadores estão cientes de que uma vitória deixa o Águia classificado para a próxima fase da competição. “A expectativa é boa, o nosso treinamento foi muito forte esta semana, e eu acredito que o Paysandu está treinando muito também. Mas se Deus quiser, nós vamos sair com um resultado positivo desse jogo”, prevê o meia do Águia, Ricardinho.

O outro meia, Kaká, pede que a torcida compareça ao Estádio Zinho Oliveira para apoiar o Azulão marabaense. “A expectativa é de um grande jogo, com um grande adversário e a gente pede o apoio da torcida neste dia”.

Instado a avaliar o surgimento de um novo time profissional (Marabá Atlético Clube), lançado há menos de um mês com o objetivo de disputar a Série B do Campeonato Paraense 2019, Ferreirinha preferiu dar boas vindas à equipe e disse esperar que cresça e crie uma rivalidade positiva com o Águia de Marabá.

Texto: Márcio Aquino