Desde cedo, a movimentação nas portas das escolas era intensa por toda a capital | Irene Almeida

Aumentou o percentual de faltosos ao segundo dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2019) no Pará. Deixaram de comparecer à aplicação do teste ontem (10), 73.815 inscritos, ou a porcentagem de 26,4% do total. Na primeira etapa, dia 3, faltaram 61.247, ou 21,9%. Quem participou do certame saiu elogiando as provas, e em Brasília (DF), o Ministro da Educação, Abraham Weintraub, celebrou o que chamou de ‘melhor Enem de todos os tempos’, ao se referir a abstenção recorde e “neutralidade ideológica” do conteúdo. Em todo o Brasil, 3,7 milhões estavam aptos ao Enem 2019, e 1,3 milhão (27,19%) faltou ao exame.
Em coletiva de imprensa na capital federal, o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC) e responsável pela aplicação do exame, Alexandre Lopes, confirmou que um total de 371 candidatos foram eliminados por variados motivos. Weintraub foi questionado por praticamente todos os jornalistas sobre as fotos que circularam nas redes sociais durante a tarde de ontem e que seriam das provas, se irritando e até impedindo um repórter de fazer perguntas, mas negou a configuração de vazamento, informando apenas que foram registrados boletins de ocorrência contra os autores das imagens. O gabarito oficial deve ser divulgado na quarta (13).
Estudante do 1º ano do Ensino Médio da Escola Estadual Ulysses Guimarães, em Nazaré, Karolayne Lobato, 15 anos, fez as provas lá mesmo, e disse ter gostado das questões de Biologia. Interessada em cursar Medicina e já participante do clube de ciência existente no colégio, reclamou das faltas de objetividade nas questões de Matemática. “Achei o enunciado muito ruim de interpretar, mas hoje

Karolayne achou a prova menos cansativa que a primeira Fernando Araújo/Diário do Pará

[ontem] ainda foi menos cansativo que o primeiro dia, em que tinha muito mais texto”, avaliou ela, que deixou a sala às 17h30, meia hora antes do fim da aplicação do Enem.
Perto dali, na Escola Estadual Deodoro de Mendonça, a representante de vendas Ana Lea Vale aguardava ansiosa pela filha, Ingrid Vitória, de 16, que já está terminando o Ensino Médio e vai poder usar a nota obtida a partir dessas provas para tentar uma vaga em Medicina Veterinária. “Ela não gostou muito da primeira prova, mas disse a ela para não desistir e por isso vim com ela, dar essa força”, contou a mãe, que saiu por volta de 8h de Marituba com a filha, onde moram, na região metropolitana de Belém, para garantir que não houvesse nenhum atraso.
MANHÃ
Pela manhã, O segundo dia de provas começou tranquilo. “Fomos acionados apenas por conta da falta de luz em quatro escolas, uma em Ananindeua, na Região Metropolitana e três no interior do estado, antes do início das provas. Mas em todas elas, o problema foi solucionado a tempo”, contou o secretário de Segurança Pública do Estado, Ualame Machado.
Pelo menos uma hora antes de abrir os portões das escolas, já era grande o movimento em alguns locais, causando inclusive engarrafamentos em frente a alguns deles. Na porta da Universidade da Amazônia (Unama), na Avenida Alcindo Cacela, era grande o número de alunos, pais, professores e ambulantes. Todos na expectativa.
As amigas Juliana Ramos, de 17 anos, que estava prestando o Enem em busca de uma vaga no curso de Psicologia e Raissa Santos, 18, para o curso de Farmácia, chegaram ao local antes da abertura do portão. As duas estavam ansiosas por conta da prova, mas cheias de expectativas.
Acredito que será uma prova difícil, porque quando envolve cálculo é sempre complicado. Mas estou tentando manter a calma por estudei muito”, contou Raissa. Já Juliana disse estar mais tranquila. “Ainda não concluí o ensino médio. Por isso, ainda farei Enem no ano que vem. Não estudei tanto, mas a gente sempre fica um pouco nervosa”, disse.
Os portões dos locais de prova foram fechados pontualmente às 13h. No Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), localizado na Avenida Almirante Barroso, alguns estudantes conseguiram chegar faltando poucos minutos para o fechamento do portão, mas não houve registro de candidatos que chegaram após o horário da entrada.
NÚMEROS
No Pará, a Operação Enem 2019, coordenada pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup) ocorreu dentro da normalidade e sem registros graves. O número de agentes de segurança e parceiros envolvidos neste segundo turno foi maior, de 4.869, e um total de 1.039 viaturas, por conta da operação reversa, de recolhimento de cartões-resposta, a partir das 18h30 de ontem. Ao todo, 75 municípios tiveram aplicação do Exame, o que representa cerca de 750 locais de prova. Três veículos de candidatos foram arrombados às proximidades da Escola Lauro Sodré, no bairro do Marco. O policiamento foi intensificado no local.
Reportagem: DOL

Comentários do Facebook