Um vídeo gravado em um shopping do Recife mostra o estudante Guilherme Santiago, de 10 anos, usando o tablet de uma loja para fazer uma pesquisa para um trabalho escolar de geografia. As imagens do menino, que não tem computador nem internet em casa, circularam nas redes sociais e foram enviadas para o WhatsApp da TV Globo.
Eu não falei nada, fiquei com medo. O homem [funcionário da loja] perguntou o que eu estava fazendo. Era um trabalho sobre a Região Sul. Valia 10 e eu tirei 10“, contou o garoto.
Caçula de quatro irmãos, Guilherme vive na comunidade Entra Apulso, na Zona Sul da capital pernambucana, e é aluno do 5º ano da Escola Municipal Abílio Gomes. Na instituição, estudam 278 alunos, mas só há 12 tablets para o uso dos estudantes. Além disso, os equipamentos só têm internet quando a direção da escola libera, para não desvirtuar o uso.
Segundo a irmã de Guilherme, Aylla Martins, o hábito de estudar é uma característica do garoto. “Ele gosta de estudar. Ele comentou que já foi umas duas ou três vezes fazer trabalhos no shopping”, afirmou.
A prática, no entanto, só chegou ao conhecimento da família após o vídeo viralizar na internet. “Na sexta [8], uma menina que mora perto da nossa casa me mandou dizendo que era o meu irmão. Perguntei se ele tinha feito alguma coisa de errado, ela me pediu para assistir e foi aí que a gente soube. O vídeo tinha mais de mil comentários”, disse Aylla.
A mãe do estudante, Rosali Santiago, contou que se assustou com a repercussão do vídeo em que o filho aparece. Depois da gravação, dois tablets foram doados ao garoto.
O coração está acelerado, estou tomando remédios para a pressão. É por orgulho e por preocupação, por ele ficar muito exposto“, declarou a auxiliar de serviços gerais (Clique aqui e veja o vídeo).
Guilherme contou à família que, antes, estava fazendo o trabalho em um celular. “Ele estava em um quiosque, mas aí o rapaz da loja chamou para ele fazer no tablet. Durante a semana, ele não tem como fazer em casa, e aí, sempre que precisa fazer uma pesquisa, ele disse que vai lá”, afirmou a irmã do menino.

Guilherme Santiago usou tablet em loja de shopping no Recife para fazer trabalho de geografia — Foto: Reprodução/WhatsApp

Após a repercussão do vídeo nas redes sociais, Aylla entrou em contato com a pessoa que publicou as imagens. Em outro vídeo publicado na internet, Guilherme agradeceu pelos dois tablets que ganhou. “Agradeço muito a vocês, por doar ou tentar doar. Amo vocês”, disse na gravação.
Prefeitura
Sobre o baixo número de tablets na escola que Guilherme frequenta, a prefeitura disse que “a inclusão digital dos alunos da rede de ensino do Recife é uma prioridade da gestão desde 2013, quando começou a ser implantada uma série de iniciativas como os programas Robótica na Escola, Tablets na Escola, Laboratório de Ciências e Tecnologia, Tecnologia Assistiva e Tecnologia para Sustentabilidade”.
A prefeitura afirmou que “foram investidos mais de R$ 80 milhões nesta área de tecnologia” e que “entende que o acesso à Internet e o uso de tecnologias pedagógicas são instrumentos importantes no aprendizado do aluno, incluindo os estudantes da educação especial“.

Guilherme Santiago tem 10 anos e mora na comunidade de Entra Apulso, na Zona Sul do Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

A gestão municipal disse, ainda, que “mais de 21 mil tablets estão distribuídos entre todas as escolas de anos iniciais e finais“, do primeiro ao nono ano, “juntamente com a rede de internet em todas as escolas”, para que professores possam desenvolver projetos junto com os alunos.
Caso, o estudante precise utilizar o material no contraturno, segundo a prefeitura, “ele pode agendar o horário junto com o gestor da escola para não interferir nas aulas de outras turmas“. A gestão afirmou, ainda, que “a Secretaria de Educação iniciou a implantação de fibra ótica nas escolas“, que “mais de 130 unidades já foram beneficiadas nesta primeira etapa” e que “a fibra ótica começará a ser instalada por ordem alfabética das escolas“.
Fonte: G1

Comentários do Facebook