De acordo com o Dieese/PA, alta nos preços da gasolina e do diesel trará impactos para a alimentação do paraense

Foto: garagem360

Nesta quinta-feira (14) a Petrobras autorizou novos aumentos nos preços dos combustíveis (gasolina e diesel) na refinaria, com a seguinte disposição: diesel teve aumento de 1,6% em seu preço, e a gasolina, em 1,3%. Estes reajustes começam a vigorar a partir de amanhã (15). Com os aumentos sequenciais ocorridos neste mês de setembro, o diesel já acumula um reajuste de 6,3 % e a gasolina, de quase 6,0 %.
De acordo com a Petrobras os reajustes estão acontecendo devido à disparada no preço do petróleo nos Estados Unidos, devido ao fechamento de refinarias no Texas, em função da passagem do Furacão Harvey.
O impacto destes aumentos para o consumidor final no Pará vai depender de uma série de fatores, entre os quais, os repasses das distribuidoras e as margens de comercialização dos postos de combustíveis do Estado. Pela nova dinâmica de preços dos combustíveis da Petrobras, em vigor desde julho deste ano, os aumentos poderão ocorrer até diariamente.
Neste período a Petrobras anunciou reajustes e reduções de preços. Enquanto os aumentos foram repassados aos consumidores finais imediatamente, as reduções tiveram uma outra dinâmica, chegando ao consumidor final de forma muito lenta e muitas vezes em percentuais abaixo do estimado inicialmente pelo Governo.
Segundo analises do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA), altas nos preços dos combustíveis, principalmente do diesel, têm “efeito dominó” na Economia local. No caso especifico do Pará, dependendo do tamanho do repasse, os aumentos deverão trazer novos impactos nos preços, principalmente da alimentação básica, devido à mudança no valor de fretes e também da inflação.
Reportagem: ORM com informações do Dieese