Líder maior da Igreja Católica em Marabá, o bispo dom Vital Corbelini anunciou esta semana importantes mudanças na Diocese e que surpreenderam muitos fieis no dia 1º de março, quando a notícia foi a público. Depois de 18 anos à frente do Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, o padre Ademir Gramelik foi transferido para assumir como titular da Paróquia de São Félix de Valois e, portanto, vigário da Catedral. Já o padre Aelson Vieira, que estava nessa condição, irá assumir a Paróquia de São Pedro e São Paulo, em Canaã dos Carajás. O padre Peterson Guadalupe deixa Canaã para assumir o Santuário em Marabá.
Foi o próprio padre Ademir que confirmou a equipe de reportagem ontem quando perguntado sobre as mudanças. Ele disse ter recebido bem a decisão e vê como um novo e importante desafio na sua vida religiosa. Confirmou que deverá acontecer uma posse formal depois do segundo domingo da Quaresma, mas que na quarta-feira de cinzas já assume as funções. Também explicou que as mudanças não foram decisão isolada do bispo, mas emanadas do Conselho de Presbíteros da Diocese e as transferências estão previstas no Código de Direito Canônico.
Muitos fieis ainda se mostravam reticentes ontem com as mudanças, apegados aos líderes religiosos que até então respondiam pelas igrejas. Padre Ademir, então, tem em seu histórico o erguimento do templo do santuário, com a beleza e grandiosidade que tem hoje na Folha 16, além do crescimento do Círio de Marabá ao longo dos últimos 15 anos, tornando-o um dos maiores do Pará.
Membro da comunidade na Folha 16, o comerciante Mauro Souza disse que Ademir vai fazer muita falta, mas em contrapartida a catedral vai ter um grande ganho com um padre experiente e que sempre estruturou as igrejas em que trabalhou e aumentou a frequência de fieis. “Fico feliz por um lado, dele estar assumindo as origens da Igreja Católica em Marabá, mas sinto a perda para a nossa comunidade. Torço que consiga, lá, o êxito que conseguiu aqui na Folha 16”, disse o amigo.
Paroquiano na Marabá Pioneira, Wilson Paixão, o Lapeta, disse que lá a mudança repentina deixou a todos perplexos e que a comunidade esperava ter sido ouvida sobre a perda do padre Aelson.
Muito queridos por suas respectivas ovelhas nas comunidades que vinham liderando, os padres Ademir e Aelson vão ser alvo de despedidas durante as missas deste final de semana, em especial no domingo.
Na Paróquia de Nossa Senhora as duas missas de domingo, uma às 8 horas e outra às 19h30, marcam a despedida do padre Ademir. Na São Félix de Valois, a despedida do padre Aelson será na última missa presidida por ele, na terça-feira de Carnaval, às 19h30, na Catedral, seguida de um coquetel promovido pela comunidade para homenageá-lo.
Reportagem: Correio de Carajás

Comentários do Facebook