Márcio Cruz da Conceição, de 19 anos, foi preso na noite desta terça-feira (2), no Bairro do Paar, em Ananindeua, acusado de torturar e ameaçar a sua ex-namorada. O Ministério Público do Estado do Pará – MPPA, pediu a prisão preventiva do suspeito após analisar farto material, que indicou que a vítima foi submetida a cinco horas de agressão. Durante a tortura, ela teve o cabelo raspado pelo agressor e foi obrigada a comer fezes de animais.
O pedido de prisão foi solicitado pelo promotor de Justiça Mauro Mendes, titular da Promotoria de Justiça de Icoaraci, local onde ocorreu o crime. Uma equipe de investigadores da Delegacia da Mulher cumpriu o mandado judicial de prisão, expedido pelo juízo da 3ª vara criminal de Icoaraci, e prendeu o acusado enquanto ele andava em via pública no bairro do Paar. A motivação da agressão, segundo denúncia feita pela vítima, foi a insatisfação com o término do relacionamento.
No pedido de prisão, o promotor Mauro Mendes detalhou que no último dia 23 de junho, Márcio Cruz convidou a vítima para almoçar em sua residência. Chegando lá, o homem estava sozinho e mandou a vítima entrar. Na entrada, ele disse, textuais: “eu te avisei que o fim era triste”. Na sequência, começou a agredir a ex-namorada com uma barra de ferro. Em seguida, segurando uma faca para que não fugisse, raspou sua cabeça com uma navalha, cortando a região supraciliar esquerda e ocasionando múltiplos ferimentos na região do couro cabeludo.
Ainda com a faca, Márcio cortou superficialmente o rosto da vítima no formato da letra “M” em sua testa, jogou sabão em seus olhos, urinou em sua boca, fez a referida comer fezes de cachorro, jogou água sanitária em seu rosto e gravou um vídeo após realizar as lesões. O vídeo foi enviado aos familiares da mulher agredida.
O acusado também gravou mensagens de áudio ameaçando a ex-namorada. Em alguns trechos, Márcio diz que “eu só não te matei mesmo, vagabund*, porque tua vida vale menos que merd* e minha liberdade, sua rata”.
Informações contidas no inquérito policial registram que a tortura durou cerca de cinco horas, cessando somente após a vítima ter conseguido escapar por uma janela da residência. Márcio Cruz é suspeito de ter envolvimento com o tráfico de drogas e de ser integrante da organização criminosa Comando Vermelho. O preso seria transferido nesta quarta-feira para a Central de Triagem Metropolitana II.
Reportagem: Ascom/MPPA – Foto: divulgacāo

Comentários do Facebook