Gabriel Jesus marcou golaço no primeiro tempo. Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D. A Press

Nada de fantasma de 7 a 1. O Mineirão, definitivamente, voltou a fazer bem à Seleção Brasileira. Nesta terça-feira, a equipe deu novas provas da eficiência de sua estratégia ao derrotar a arquirrival Argentina por 2 a 0. Destaques do jogo ao lado de Daniel Alves, Gabriel Jesus e Firmino foram responsáveis pelos gols da vitória. E assim como nas Eliminatórias para a Copa de 2018, quando venceu os hermanos por 3 a 0, a seleção de Tite deixou o Gigante da Pampulha ovacionada pelos mineiros.
Com a vitória, a seleção se credenciou para disputar a primeira final da ‘era Tite’. A equipe aguarda o vencedor da outra semifinal, entre Chile e Peru, às 21h30 desta quarta-feira, na Arena do Grêmio, para conhecer seu adversário. O duelo decisivo, que definirá o campeão da Copa América, está marcado para o próximo domingo, dia 7, às 17h, no Maracanã, no Rio de Janeiro. A disputa pelo terceiro lugar será um dia antes, no sábado, às 16h, na Arena Corinthians, em São Paulo.
Embora pouco vistoso tecnicamente, o primeiro tempo do jogo entre Brasil e Argentina reservou todos os ingredientes de um clássico dessa magnitude. A começar pelas reações das arquibancadas. Em maior número, como era de se esperar, os brasileiros não permitiram que os torcedores rivais conseguissem entoar um cântico de apoio sequer. Espalhados em quatro grandes blocos no Mineirão, os argentinos até tentaram incentivar Messi e companhia, mas sem sucesso.
Dentro de campo, não faltou entrega física dos jogadores de ambos os lados. O primeiro carrinho do jogo saiu logo aos 2’, quando Daniel Alves impediu investida de Tagliafico. Daí em diante, os ânimos já ficaram mais exaltados: Coutinho se estranhou com Paredes, e Tagliafico, o mesmo que havia sido parado pelo capitão da Seleção Brasileira, acertou entrada violenta em Gabriel Jesus. O lateral argentino recebeu cartão amarelo.
A resposta do Brasil veio na bola e justamente dos pés de Gabriel Jesus. Aos 18’, na primeira grande chance da equipe, Daniel Alves fez jogada brilhante pela direita e aplicou um chapéu em Acuña antes de encontrar Firmino livre na linha de fundo. O atacante recebeu e serviu o ex-atacante do Palmeiras, que só teve o trabalho de deslocar Armani e marcar o primeiro gol da Seleção Brasileira no Mineirão: 1 a 0.
Na frente do placar, a seleção comandada por Tite passou a dar mais campo aos adversários e esperar um erro para buscar o contra-ataque contra a frágil primeira linha de defesa da Argentina. Com mais espaço para criar as jogadas, a Albiceleste teve sua melhor chance aos 29’. Da intermediária, Messi cobrou falta e cruzou para Agüero, que, livre de marcação, cabeceou a bola no travessão. A equipe de Lionel Scaloni aumentou o volume de jogo, mas não conseguiu converter isso em gol.
Disputa de estratégias
Diferentemente do início de jogo, quando as equipes se estudaram mais do que investiram na criação das jogadas, no segundo tempo a Argentina partiu para cima. O Brasil utilizou da estratégia reativa. Aos 11’, por muito pouco, os hermanos não empataram. Em verdadeira blitz, Messi finalizou a bola na trave, após aproveitar sobra do chute de Lautaro Martínez. Na sobra, o camisa 10 ainda cruzou rasteiro na área, mas ninguém completou.
Apesar da pressão argentina, o técnico Tite levou vantagem sobre o rival Lionel Scaloni no duelo particular de estratégias para o jogo. Aos 25’, a Seleção Brasileira roubou a bola no campo de defesa, Gabriel Jesus partiu em velocidade, ganhou de Otamendi, entrou na área e só tocou para Firmino, livre de marcação, marcar o segundo tento brasileiro na partida. 2 a 0.

Firmino fechou o placar no Mineirão Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D. A Press

Enquanto os argentinos murcharam com as chances reduzidas de classificação, os brasileiros foram à loucura nas arquibancadas do Mineirão. Relembram a Copa do Mundo de 2014 e entoaram todos os cânticos possíveis exaltando a equipe e relembrando conquistas históricas. Além disso, é claro, fizeram valer toda rivalidade e não perdoaram os hermanos com gritos efusivos de ‘eliminados’, uma vez que a Argentina deixa a competição com o revés para o Brasil.
BRASIL 2X0 ARGENTINA
Brasil
Alisson; Daniel Alves, Marquinhos (Miranda), Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro, Arthur e Philippe Coutinho; Gabriel Jesus (Allan), Roberto Firmino e Everton (Willian). Técnico: Tite
Argentina
Armani; Foyth, Pezzella, Otamendi e Tagliafico (Dybala); Paredes, De Paul (Lo Celso) e Acuña (Di María); Messi, Agüero e Lautaro Martínez. Técnico: Lionel Scaloni
Gols: Gabriel Jesus (aos 18’1°T) e Roberto Firmino (aos 25’2°T)
Cartões amarelos: Tagliafico, Acuña, Foyth, Lautaro Martínez, Aguero (Argentina); Allan, Daniel Alves (Brasil)
Público pagante: 52.235
Público não-pagante: 3.712
Renda: R$18.744.445,00
Fonte: Estado de Minas

Comentários do Facebook