Três indicações da vereadora Eliene Soares (MDB) foram apresentadas e aprovadas por unanimidade na sessão desta terça-feira (8), solicitando do governo municipal que intensifique as campanhas de alerta contra a covid-19 (Indicação nº 423/2020); habilite a Policlínica Municipal junto à Secretaria de Estado da Saúde Pública para diagnóstico e tratamento do câncer de próstata (Indicação nº 424/2020); e utilize uma parte dos royalties de mineração para construir seis escolas de ensino fundamental (Indicação nº 431/2020).
Indicação nº 423
A vereadora mostra sua preocupação nesta indicação, alertando que a pandemia do coronavírus, micro-organismo causador da doença covid-19, ainda não acabou, mas no município muita gente age como se ela nunca tivesse existido. Para ela, esse é um comportamento arriscado, já que o rastro que esse perigoso vírus deixou em Parauapebas, de março para cá, é de 196 mortes.
Segundo a parlamentar, as ruas, o comércio, os bares, os restaurantes e as casas noturnas estão repletos de pessoas que perderam o temor, seja porque já pegaram covid, seja porque pensam que a situação estabilizou ou porque menosprezam a gravidade dos efeitos do coronavírus. Diz que ainda os donos de estabelecimento até fazem sua parte, mas muitos cidadãos insistem em não aderir ao básico, como usar máscara.
O alerta que aqui faço decorre do que estamos vendo ocorrer na Europa, que enfrentou um surto de casos no início do ano e conseguiu controlar a onda de infecções, mas, devido ao comportamento da população, sobretudo os jovens, agora enfrenta uma segunda onda furiosa de covid, com aumento de hospitalizações e óbitos”, observa a vereadora, acrescentando que em Parauapebas a população tem que evitar essa tal segunda onda, porque a primeira foi traumática durante o período de confinamento em casa e fechamento do comércio.
Por tudo isso, e a fim de que não tenhamos mais de nos submetermos a dias traumáticos de superlotação hospitalar e confinamento em casa, peço ao governo municipal que atue, por meio de campanhas permanentes, nos meios de comunicação que houver disponíveis, para conscientizar a população quanto aos comportamentos de risco que facilitam a transmissão do coronavírus, que ainda está circulando em nosso meio”, destaca.
Indicação nº 424
Nesta indicação, Eliene Soares reforça que a habilitação da Policlínica junto à Secretaria de Estado de Saúde, na semana passada, para diagnóstico e início de tratamento de dois tipos de câncer (o de mama e o de colo de útero), é uma vitória incomensurável para todas as mulheres de Parauapebas.
Essa ação demonstra o compromisso do prefeito Darci Lermen com a comunidade e seu carinho para com as mulheres”, opina a legisladora, revelando que o município de Parauapebas investiu este ano, até o momento, R$ 5 milhões e 800 mil no fortalecimento do protagonismo feminino, o que inclui a geração de emprego e renda e o combate a toda e qualquer forma de violência contra a mulher.
A vereadora assinala que o início do diagnóstico preciso e do tratamento de câncer de mama e de colo de útero no município vai evitar a morte de pelo menos 14 mulheres por ano, uma vez que, quanto mais cedo for diagnosticada a doença, maiores as chances de cura definitiva.
Diante do exposto, Eliene Soares sugere que o Poder Executivo providencie também a habilitação para diagnóstico ambulatorial e tratamento de outro tipo de câncer que atormenta exclusivamente os homens: o de próstata. Dados do Ministério da Saúde mostram que apenas no ano passado 10 homens perderam a luta contra esse tipo de câncer, que foi o segundo que mais matou depois do câncer de pulmão.
Indicação nº 431
Quanto ao pedido para que o governo municipal utilize parte dos royalties de mineração para construção de seis escolas, a vereadora diz ter tomado conhecimento pela imprensa que o município está prestes a receber a maior quantia de Compensação Financeira pela Exploração Mineral (Cfem) da história, de uma só vez: R$ 227 milhões e 57 mil.
Minha indicação tem em vista orientar o aproveitamento de uma parte desse recurso milionário que Parauapebas deve receber nos próximos dias para construir escolas de ensino fundamental nos bairros periféricos de nossa cidade, porque milhares de alunos ainda estudam em anexos, o governo segue gastando com locações de imóveis e o turno intermediário – aquele espremido entre o matutino e o vespertino – resiste bravamente, mostrando-se a cada ano invencível”, argumenta a vereadora.
Eliene Soares aponta na indicação que as escolas sejam construídas de forma estratégica nos bairros Tropical, Casas Populares, Cidade Jardim, Nova Carajás, Nova Vida e Vila Rica, para oferecer educação em tempo integral, “porque a Meta 6 do Plano Nacional de Educação (PNE) exige a oferta de educação integral em, no mínimo, 50% das escolas públicas, de forma e atender, pelo menos, 25% dos alunos da educação básica”.
As três indicações foram aprovadas pelos demais vereadores em plenário e agora elas serão encaminhadas para serem apreciadas pelo governo municipal.
Texto: Waldyr Silva / Fotos: RodrigoAntunes