Um piscar de olhos. Assim os pais narram o sumiço de Wilyane Karen David da Silva Rios, de 12 anos, durante um dia de passeio no Rio Parauapebas, em família. Eles teriam perdido a menina de vista por um segundo, quando ela estava sobre uma pedra, no leito do rio e de repente ela sumiu, sem gritos ou pedido de socorro. O que se seguiu foram horas de busca, em desespero, até que o corpo dela emergiu, sem vida, por volta das 17 horas deste sábado, dia 25.
Os pais são José Francisco Souza Rios e Otayane Talita David da Silva Rios. O acidente se deu em um ponto do rio que é pouco conhecido até pelas autoridades como sendo praia. Trata-se do local chamado de Balneário Brasília, no bairro Minas Gerais e que tem acesso pela avenida VS-10.
Até os bombeiros, que foram acionados por volta das 16 horas, tiveram dificuldades em encontrar o balneário, por nunca terem ouvido falar em tal local.

Segundo os relatos ouvidos dos pais pelo sargento BM Da Luz, a família, com alguns amigos, estava banhando em um ponto considerado raso do rio, onde a marca de água daria à altura do umbigo de Wilyane Karen. Em dado momento os pais se viraram para pegar algumas bebidas e a criança sumiu da sua vista.
Ainda segundo o Corpo de Bombeiros, moradores dos arredores e que são grandes conhecedoras do local, foram fundamentais na ajuda na busca. O corpo da menina foi encontrado a apenas 3 metros do local onde havia sumido. Não havia qualquer lesão aparente, mas sangue saindo o ouvido. “Foi afogamento mesmo”, diz o sargento. A guarnição tinha, ainda, o sargento Vale e o cabo Cury.
O telefone do Grupamento para emergências e buscas é o (94) 3356-4010.
Reportagem: Correio de Carajás com informações e fotos de Ronaldo Modesto