Foi publicado na tarde da última terça-feira (18), o edital da Comissão Especial Eleitoral que dispõe sobre o resultado preliminar da Eleição para Conselheiros Tutelares de Parauapebas, na gestão entre 2020 e 2024. No domingo (16) 18.253 eleitores procuraram as urnas para depositarem os votos, sendo contabilizados, destes, 22 em branco e 43 nulos.
Essa foi a segunda votação para eleger quem ocupará as 10 vagas para os dois conselhos tutelares do município. A primeira ocorreu no dia 6 de outubro de 2019, sendo anulada por decisão judicial após serem identificadas diversas irregularidades de procedimentos na apuração.
Mesmo após o pleito ser conturbado pela anulação, a segunda votação atraiu 362 eleitores a mais que a primeira. Para tentar diminuir a possibilidade de irregularidades, a apuração não foi imediata e ocorreu apenas nesta segunda (17), sendo finalizada às 22h20.
As três primeiras colocadas foram Marcia Aguiar Barros (1.501 votos), Terezinha da Silva Oliveira (1.344 votos) e Vanda Ferreira Nascimento (1.030 votos). A partir desta quarta (19) está aberto o período de recursos à Comissão Especial Eleitoral, que deverão ser apresentados até sexta (21).

Aldo Serra, explica que caso ainda haja dúvidas após este período, poderá ser procurado o Ministério Público do Estado do Pará

O resultado do julgamento dos recursos será publicado no dia 3 de março. Desta decisão, ainda caberá recurso ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Parauapebas (COMDCAP) dentre os dias 4 e 6 de março. O presidente do COMDCAP, Aldo Serra, explica que caso ainda haja dúvidas após este período poderá ser procurado o Ministério Público do Estado do Pará.
Na segunda semana de março, acrescenta, está prevista a capacitação dos conselheiros eleitos, que é fase classificatória para a posse, que ocorre em 31 de março, dos 10 titulares e 10 suplentes. Serra avalia como tranquila a contagem dos votos, acrescentando que houve apresentação de alguns pedidos de impugnação. “No decorrer da apuração foram dadas as respostas para estes pedidos”, esclarece.
Nas redes sociais foram veiculadas denúncias sobre transporte irregular de eleitores e boca de urna, situações que serão averiguadas, explica. “Uma consta em ata, na (Vila) Cedere I, de um simpatizante fazendo boca de urna. Existem também vídeos, áudios e outros materiais que circulam na internet e sobre os quais os candidatos irão formalizar denúncia. Chegando ao conselho daremos prosseguimento. Coordenadores de polos nas escolas foram ouvidos pelo MP e no mais vamos aguardar o processamento das denúncias e informações para que tudo seja colocado a limpo”, finalizou.
Reportagem: Luciana Marschall – Correio de Carajás