Mais uma vez Parauapebas sofre com vários pontos de alagamentos, gerando imensos transtornos para a população. Na madrugada desta terça-feira (03), um grande volume de chuva caiu sobre a cidade e a Defesa Civil do município atuou no remanejamento de pessoas que tiveram suas casas invadidas pelas águas.
A situação de alagamentos é uma forte indicação da necessidade urgente do início das obras do Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap), que vai sanar a maior parte dos alagamentos recorrentes nos bairros Rio Verde, União e Liberdade, provocados pelas cheias do Igarapé Ilha do Coco.
As obras do Prosap estavam programadas para começar ontem, dia 03 de março, mas a prefeitura foi obrigada a suspender o início dos trabalhos a mando da Justiça, que pediu um prazo de dez dias para a empresa vencedora do processo licitatório para comprovar sua competência técnica.
A prefeitura pleiteia junto à Justiça a retomada dos trabalhos para o início da obra. Enquanto isso, o cronograma de execução das obras sofrerá atraso em função da suspensão. A primeira etapa do Prosap é prevista para ser concluída em 18 meses. Nossa missão é minimizar esses problemas com alagamentos já no inverno do ano que vem. Esperamos retomar logo o início dos trabalhos e assim o cronograma não ficará muito comprometido”, destaca Cleverland Carvalho, coordenador de projetos especiais e captação de recursos da prefeitura.
Para ampliar ainda mais o conhecimento da população sobre o Prosap e de todo o benefício que o programa vai gerar para a comunidade, a Assessoria de Comunicação (Ascom) da prefeitura publicará uma série de matérias em que serão apresentados os dados relacionados ao esgotamento sanitário, serviços de micro e macrodrenagem, atendimento social e histórico do programa que vai mudar a cara de Parauapebas.
Veja o vídeo de apresentação do Prosap

Texto: Karine Gomes – Fotos: Chico Souza/Felipe Borges/José Piedade/Kelson Araújo

Comentários do Facebook