Uma iniciativa inédita promovida pela Prefeitura de Parauapebas, por meio das secretarias municipais de Saúde e da Mulher, ofereceu três dias de momentos especiais, cuidados e troca de experiências para 50 mulheres que atuam na rede pública do município.
Trata-se do projeto Cuidar Mulheres, iniciado no dia 25 de novembro, como parte integrante da campanha 16 Dias de Ativismo Pelo Fim da Violência Contra Mulheres e Meninas, que encerra no próximo dia 10 de dezembro. De acordo com a assistente social Juliana Araújo, coordenadora de projetos da Secretaria Municipal da Mulher (Semmu), “o foco cuidar de quem cuida”.
O projeto tem como objetivo promover o cuidado e o empoderamento das profissionais de saúde para o cuidado das mulheres vítimas de violência, quando essas chegam para ser atendidas. Entendemos que todas essas mulheres merecem esse olhar especial. No curso desenvolvimento neste projeto a gente fala do que é ser mulher, de como que a gente tem de cuidar das nossas próprias questões, dos nossos próprios processos, antes de cuidar da outra mulher. Então, é uma prerrogativa pra gente melhorar também esse atendimento, esse acolhimento das mulheres que procuram os serviços de saúde”, reforça Juliana Araújo.
A enfermeira Eneida Almeida, que trabalha na Unidade Básica de Saúde da VS 10, diz que o curso tem uma proposta maravilhosa e que se sente privilegiada em poder participar. Pra ela, as mulheres da saúde merecem esse momento e isso certamente refletirá em mais cuidado no acolhimento de outras mulheres.
Nós atendemos pacientes que vivem situações que mexem com o nosso psicológico. Semana passada, por exemplo, eu atendi uma grávida que o parceiro queria que ela fizesse um aborto. Também já atendi uma criança de dois anos de idade com sinais de violência sexual, foi um choque pra mim, a gente precisa respirar fundo e manter o equilíbrio para ter condições de ajudar”, destaca a enfermeira.
Para Cleice Reis, diretora de planejamento do SUS, em Parauapebas, a iniciativa agrega em qualidade no atendimento e reforça a parceria entre as duas secretarias para promover ainda mais cuidado e acolhimento.
A secretaria da mulher é uma grande parceira da secretaria municipal de saúde, e nós estamos dentro dessa programação com a ação voltada para nossas profissionais. Nós também vamos oferecer o curso de Doulas e faremos ações de enfrentamento ao HIV, é uma série de programações voltadas aos 16 Dias de Ativismo, que envolve a saúde. Nesse período de pandemia, nós, mulheres, ficamos sobrecarregadas, mais do que oportuno esse curso. Estamos cuidando de quem cuida, esse é o foco, empoderar e fortalecer essa mulher, que muitas vezes lá na unidade, no hospital, na UPA e em todas as nossas portas de entrada acolhem mulheres vítimas de violência”, afirma Cleice.
Curso de Doulas
Na programação dos 16 Dias de Ativismo também foi realizado o curso de Doulas, nos dias 4, 5 e 6. A proposta do curso foi de formas mulheres para atuar no momento do parto.
A doula ajuda as parturientes a encontrar as posições mais favoráveis durante as contrações, faz massagens e compressas para aliviar a dor, ajuda o parceiro a se envolver e participar ativamente do parto e informa o casal sobre todos os procedimentos que estão sendo realizados.
Texto: Karine Gomes – Foto: Órion Lima – Assessoria de Comunicação/PMP