Nesta terça-feira, 30, é celebrado o Dia do Comerciário em todo o Brasil. Em Parauapebas, é feriado para o setor e o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio vai celebrar a data com um dia de lazer para associados, em um balneário da cidade.
De acordo com o presidente do Sindicato, Adeilton Aves de Freitas, atualmente os trabalhadores do setor comercial não têm muito a comemorar por conta do arrocho salarial puxado pela política econômica do governo do presidente Michel Temer, que elevou a inflação, trazendo a reboque o reajuste de preços de todos os itens básicos da população, como gás de cozinha e energia elétrica.
Ele observa que a classe sofre por tabela com a crise financeira e a política econômica do País. Segundo Freitas, este ano eles conseguiram durante a convenção coletiva anual alguns ganhos para a classe, mas ainda está aquém do desejado.
O reajuste salarial foi de apenas 2,8%, elevando o piso da categoria para apenas R$ 1.185,00, mas eles conseguiram manter ticket-refeição, que soma mais R$ 163,00 aos vencimentos dos trabalhadores. Para ele, se o próximo governo não fizer uma reforma fiscal e tributária, as coisas só tendem a piorar.
O presidente destaca que o comércio vive da circulação do dinheiro dos consumidores, incluindo os próprios trabalhadores do setor, que deixam o que ganham nessa ciranda financeira. No entanto, sem emprego e com inflação alta, há retração essa circulação porque o consumidor fica sem poder de compra.
Com isso, o comércio entra em colapso e o resultado é demissão e, muitas vezes, até o fechamento de empresas. “Tudo é uma via de mão dupla. O comércio dependente do consumidor e o consumidor, para fazer a engrenagem girar, precisa ter poder de compra. Sem renda e com tudo aumentando diariamente, a situação se agrava e chega ao estágio em que estamos”, diz Freitas.
Dia do Comerciário
O Dia do Comerciário ou Dia do Comércio é celebrado anualmente em 30 de outubro no Brasil. Oficialmente, esta data foi instituída a partir do decreto de lei nº 12.790, de 14 de março de 2013. A data é considerada uma vitória histórica da classe dos comerciantes por melhores condições de trabalho.
Reportagem: Tina Santos – com informações de Ronaldo Modesto – Correio de Carajás

Comentários do Facebook