Dezenas de indígenas de quatro comunidades da Terra Indígena Suruí Sororó interditam, desde o início da manhã, um trecho da BR-153, situado no Km 102, entre São Domingos e São Geraldo do Araguaia. A rodovia constitui rota de acesso ao Parque Estadual da Serra dos Martírios/Andorinhas e se consolidou como canal indispensável para o escoamento da produção regional, passando pela balsa no Rio Araguaia e acessando a Belém Brasília.
São quatro as aldeias que aderiram ao protesto: Itahy, Tukapehy, Ipirahy e Awssehé. Os integrantes cobram a presença do prefeito de São Geraldo, Edilson da Emater, e garantem que só liberarão a via quando a solicitação for atendida.
Conforme levantou a equipe de reportagem junto a lideranças indígenas, o prefeito havia feito uma série de promessas, não cumpridas, às comunidades, fato que motivou a ação na rodovia federal.
Motoristas impedidos de passar, inconformados com o cárcere viário, relatam ao veículo de comunicação que o bloqueio já dura mais de cinco horas. Uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) chegou ao local no meio da tarde para tentar dialogar com os indígenas.
A Equipe de reportagem entrou em contato com um número disponibilizado pela Prefeitura de São Geraldo em seu site (9 9255-4626), mas a pessoa que atendeu disse que não estava autorizada a prestar esclarecimentos e que seu esposo (ela não disse o nome) trabalha no Gabinete do prefeito, mas havia saído.
Minutos depois, gentilmente, ela ligou e repassou outros dois números de servidores da Prefeitura de São Geraldo, mas ambos davam na caixa postal.
Fonte: Correio de Carajás